"Como fiz caixa 2 se não fiz campanha?", diz Bolsonaro

– Não fiz campanha. Como é que me acusam que eu fiz campanha com caixa dois? Eu não fiz nada. Não anunciei em jornal nenhum, não fiz uma passeata, não fiz nada – disse o presidente, ao chegar ao Palácio da Alvorada.

Ele criticou novamente reportagem do jornal Folha de S.Paulo, publicada no último domingo. Segundo o texto, um depoimento e uma planilha obtidos pela Polícia Federal sugerem que recursos de esquema de candidaturas laranjas do PSL foram desviados para abastecer, por meio de caixa dois, a campanha do presidente e do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio.

– Só esta semana, me botaram como responsável por problemas em Minas Gerais. Não tenho nada a ver. Imagine se eu sou for responsável por 2.000 candidatos pelo Brasil – disse.

No dia em que a reportagem foi publicada, o presidente disse, em suas redes sociais, que a Folha de S.Paulo “avançou todos os limites” e desceu “às profundezas do esgoto”

Bolsonaro ainda disse que, na época da campanha, estava acamado por conta da facada que sofreu durante a disputa eleitoral, em Juiz de Fora, Minas Gerais. Após o ataque, ele passou 24 dias internado

Pela manhã, o presidente disse a um apoiador que esquecesse o seu partido, o PSL. À noite, ele se negou a explicar o que quis dizer quando fez a sugestão.

Ao ser abordado pelo apoiador, Bolsonaro disse que o presidente nacional da legenda, o deputado federal Luciano Bivar (PE), estaria “queimado para caramba”, o que desencadeou uma reação da sigla.

– Agora você fez a pergunta para cortar o papo com vocês. Boa noite – despediu-se o presidente, que desceu do carro para conversar com um grupo de simpatizantes na entrada do Alvorada.

Após a declaração sobre seu próprio partido, um setor do PSL produziu um manifesto público em apoio a Bivar, no qual exalta a importância da sigla nas eleições gerais do ano passado.

Na porta do Palácio do Alvorada, o presidente voltou a atacar a cobertura dos veículos de imprensa ao seu governo e questionou se o interesse é desgastá-lo “o tempo todo”.

– Qual é o interesse? É me desgastar o tempo todo? Aí fica duro. No dia em que vocês [repórteres], eu sei que muitas vezes não são vocês, é o editor, tiverem um compromisso com a verdade, será um prazer conversar com vocês. Cada vez que eu falo é problema – falou.

*Folhapress

Leia mais